30 de abr de 2007

A esquina do mundo

ok, ok. Atendendo a pedidos, um pouquinho sobre NY. Mas só um pouquinho, porque a história do flanar tava redendo... Aliás, por que fica todo mundo me mandando email ao invés de comentar dentro do blog??? tsc, tsc. Vai entender...
Sim, talvez NY seja mesmo a capital do mundo. Tem muita coisa num mesmo lugar, de tudo quanto é canto do planeta. Até Little Brazil já tem, e em plena Times Square! Aliás, a Times Square é, talvez, o que há de mais marcante na cidade para os visitantes. Sim, continuo com minha tese: não há grandes atrativos turísticos na terra do tio Sam. Nenhum grande monumento (tá, a Estátua da Liberdade até que é legal), nenhuma daquelas paisagens de emocionar. E vamos ser francos: quase todos os brasileiros que encontrei por lá estavam atrás de compras, ainda mais com o real mais valorizadinho. Vários deles não tinham a menor pretensão de se perder pelo Soho, Chelsea ou Tribeca, muito menos de gastar o tempo no Metropolitan ou no MoMa. Mas, por outro lado, NY tem quase tudo: excelentes hotéis, ótimos espetáculos, restaurantes incríveis, baladas memoráveis. E a Times Square que, faça chuva ou faça sol, seja dia ou noite, está lá, frenética, querendo cativar a sua atenção a cada instante. Uma vez eu li que muitos a chamavam de a "esquina do mundo". Fui todos os dias e todas as noites lá! Antes ou depois. Que torre de babel que é aquilo! E uma das coisas que mais gosto ao viajar é me perder dentro de uma torre de Babel. Tem coisa mais gostosa que ir de tapas na Plaza Mayor ouvindo aquele monte de línguas? Ou entrar num pub em que cada um pede pint de um jeito? É, a Times Square também tem dessas coisas - embora se ouça também muito português por lá.
Fora do roteirão básico da NY de todo viajante, vale checar:
- brechó Ressurection, para encontrar "aquela" peça vintage com cara de vestido do Oscar
- spa Great Jones, conceituadíssimo na Nwe York Magazine
- loja de departamentos Bergdorf Goodman, em plena 5th Avenue, e esquecida pela maioria dos turistas
No quesito comilanças e comidinhas:
- Arabelle, o brunch mais famoso dos domingos novaiorquinos, em pleno Plaza Athenée
- The Good Fork, moderníssimo e ultra-aconchegante
- Mezzaluna, para quem procura o bom e velho
- Café Loup, bistrô francês com jeito de restaurante no Village

10 comentários:

Erika disse...

ah, tá bom, todo mundo vai mesmo lá atrás de consumo. Não tem coliseu, nem ruínas, nem torre, nem big ben, eu concordo. mas fala sério: não dá vontade de morar lá?

Tania disse...

Vamo lá...rsrsrs... Olha, não conheço tanto lugar assim, mas em relação à Time Square...acho que é marcante mesmo! Talvez não ganhe de Las Vegas, que é uma Time Square gigante... Bom, caminhar pela Broadway (rua) de cima até embaixo, passando pelo Soho, Little Italy e Chinatown, passar um dia entre Estátua da Liberdade e Ellis Island, no outro dia atravessar o Central Park e à noite ter pique pra assistir um musical (lóóógico)...Ufa! mas é legal vai Maaariii...Tudo bem, o Metropolitan tbm é legal...Mas devo defender mais a terrinha do Tio Sam..rsrsrs...tipo, Big Sur, Lake Tahoe, Yosemite Park, são lugares onde a paisagem é sim um show, apesar que eu vi muita neve. Ah, claro, ainda tá faltando a Disney hein!! hehehe

Rô disse...

Também tenho que defender o tio Sam: Niagara Falls, a linda San Francisco, a costa Californiana, as pontes (e o friiiiio) de Madison, o ano novo no Rockfeller Center... sem falar nas compras, é claro. Fala sério, vc conhece algum lugar com mais apelo de consumo que os EUA?

Mari Campos disse...

ah, sei lá,viu? Acho que a Tailândia tem mais apelo ainda... nunca comprei tanto em uma viagem quanto lá! As grandes grifes têm preços mais baixos, as peças de decoração são uma loucura e as roupas e bijoux também são muito diferentes. Ainda prefiro a Tailândia, em todos os sentidos...rs

Rô disse...

Esqueci de perguntar: os hotéis em NY continuam os olhos da cara??? Vcs conhecem algum mais em conta?

Mari Campos disse...

Hotelaria nos States é sempre os olhos da cara, em qq lugar. E raríssimamente inclui um cafezinho da manhã. Se vc fizer questão de banheiro no quarto, então... prepare-se para passar dos duzentos dólares por noite para duas pessoas.A parte boa é que muitas das grandes redes fazem promoções. Dependendo da época, dá pra pegar um Hyatt lindão, com café da manhã, por 130 dólares. Mas tem que ficar pesquisando mesmo, porque normalmente são tarifas só pra internautas.
Em NY, a coisa complica, porque em Manhattan tudo é caro. Talvez a opção mais econômica sejam os YMCA espalhados pela cidade, com dormitórios coletivos (a partir de 30 USD)e quartos duplos (a partir de 80 USD), só que sem banheiro privativo. Opção mais conceitual e modernosa é o Gershwin, com cada quarto decorado num estilo, em ótima localização. Baratinho no quarto coletivo (a partir de 40 USD)mas mais carinho na opção duplo com banheiro (189 USD). Outra opção, ainda em Manhattan mas já no upper west side, é o Astor on the park, de frente para o Central Park, quartos com banheiro privativo e café e chá de graça o dia todo, a partir de 130 dólares o ap duplo com taxas.

Cebola disse...

Estamos indo para a Big Apple em dezembro, em pleno Inverno, quando os preços, que já são caros, como está num comentário, ficam ainda mais caros. Mas queremos ver as famosas luzes de NY e achamos que vai compensar. Depois seguimos para Vegas, onde já estivemos outra vez e sempre vale a pena voltar. Quando viajamos procuramos comprar um guia. No ano passado fomos para Buenos Aires e a edição da GTB foi muito útil, mostrando o tradicional e o "udigrudi", com dicas importantíssimas, apesar de que, infelizmente, fomos vítimas de um golpe aplicado por taxista, que resultou num troféu de 20 pesos falsos... Assim, se alguém tiver uma dica de guia para NY, desde já agradecemos.

Joelma disse...

Olá, bem, estou indo pela primeira vez a Nova York, muito anciosa para conhecer a "capital do mundo", e ainda cheia de dúvidas, uma delas é como ir do aeroporto ao centro da cidade. Alguém poderia me ajudar?? Já me falaram de uma brasileira q te busca no aeroporto, mas não consigo contactar. Obrigada!!

Mari Campos disse...

Joelma, vc pode ir do JFK para a cidade de metrô mesmo ou comprar ticket de um dos muitos shuttle bus que saem de lá e te levam direto pro hotel. O metrô é mais barato, claro, enquanto o shuttle sai uns 18 dólares por pessoa. De táxi, parece que fica em torno de 50 dólares.

Joelma disse...

Mari, muito obrigada pelas informaçoes...