22 de mai de 2007

Turismo na América Latina: mal das pernas

Uma pesquisa divulgada na última semana pelo WTTC (conselho mundial de viagens e turismo) mostrou que ainda não temos do que nos orgulhar em termos de turismo. Apesar de todos os destinos paradisíacos da região, a América Latina ganha apenas do sul da Ásia em termos de importância econômica no setor do turismo. Das 13 regiões mundiais estudadas na pesquisa, a AL tem o 13o. PIB, correspondendo a apenas 2,7% do PIB mundial do turismo (USD 143 mi). No PIB regional, o turismo na AL corresponde a apenas 7,3% do PIB da região, número inferior até ao Oriente Médio, onde o turismo corresponde a quase 10% do PIB, apesar da região viver constantemente em conflito. A média mundial é de 10,4% e o primeiro posto é do Caribe, com o PIB representando 16,5% do PIB regional.
A pesquisa afirma que a economia de viagem e turismo está "apenas começando" na América Latina e deve crescer muito nos próximos anos. A expectativa é de um crescimento de oito por cento na demanda deste ano, enquando a média mundial de crescimento deve ficar em torno de 4%.A pesquisa afirma que o que falta à AL é, sobretudo, planejamento estratégico, associando o público e o privado para promover o turismo. A atratividade do Brasil para o turismo perde feio nos quesitos qualidade de rodovias, portos e ferrovias, além da questão da segurança. O que falta mesmo é pensar o turismo a longo prazo. Vamos ver se o novo programa federal se encaixa nas novas tendências mundiais.

Translated by Google
A research divulged last week by the WTTC (world-wide advice of trips and tourism) showed that we still can't be proud in tourism terms. Although all the paradisiacal destinations of the region, Latin America earn only of the south of Asia in terms of economic importance in the sector of the tourism. Of the 13 studied world-wide regions in the research, the AL has 13o. The GIP, corresponding only 2.7% of the world-wide GIP of the tourism (USD 143 mi). In the regional GIP, the tourism in the AL corresponds only 7.3% of the GIP of the region, inferior number until the o Middle East, where the tourism almost corresponds 10% of the GIP, although the region to live constantly in conflict. The world-wide average is of 10,4% and the first rank is Caribbean, with the GIP representing 16.5% of the regional GIP. The research affirms that the economy of trip and tourism is “starting” in Latin America and only must grow very in the next years. The expectation is of a growth of eight percent in the demand of this year, enquando the world-wide average of growth must be around 4%.A research affirms that what lacks to the AL is, over all, strategical planning, associating the public and the private one to promote the tourism. The attractiveness of Brazil for the tourism loses ugly in the questions quality of highways, ports and railroads, beyond the question of the security guard. What it lacks exactly is to think the tourism in the long run. We go to see if the new federal program if incases in the new world-wide trends.

Um comentário:

gra_stroili disse...

Apesar das iniciativas do setor privado, o setor publico nao deixa de ter um papel muito importante, alias, fundamental, na mudanca desse quadro desanimador. Esperamos mesmo que o novo plano de governo colabore para isso pois ja e mais do que provado que o turismo, alem de gerar empregos, pode ajudar muito para alavancar a economia do pais.