16 de jun de 2010

O melhor e o pior dos cruzeiros

Interrompemos esse diário de viagem pra Ilhabela pra blogueira pedir socorro: preciso super de um helpzinho de vcs para um material sobre cruzeiros.
Já contei aqui que eu odiei profundamente o primeiro cruzeiro que fiz mas a partir do segundo entendi que era um problema da armadora (companhia de cruzeiros) e não desse tipo de viagem em si. Acabei virando fã e sei que, infelizmente, existem muitas diferenças entre o tipo de cruzeiro que se pratica aqui na nossa costa e o que se pratica em outras partes do globo.
Também sei que tem leitor que ama cruzeiro, que curte, que tolera e que odeia o dito cujo. Por isso, gostaria de saber: quais as MELHORES e as PIORES coisas de se fazer cruzeiro tanto no Brasil quanto no exterior?
Causos interessantes também serão muitíssimo bem-vindos!
Plissss, deixem suas valiosas contribuições na caixinha de comentários e grazie mille, arigatô, danke, merci, gracias, brigadinha :-)

8 comentários:

Luciano B disse...

O melhor é não ter que fazer e desfazer mala em cada parada e, dependendo da Cia, ter um tratamento e serviço 5 estrelas! O chato é que se fica pouco tempo em cada porto, mas o suficiente para decidir se é um lugar que vale a pena investir em uma viagem futura.

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Oie!! olha só..trabalho em cruzeiros uma vez por ano, ja tem uns 4 anos... o pior que eu acho mesmo são determinados tipos de embarcação..que pelooooamordedeus..rsrs..
o melhor sem duvida é vc ter um hotel em cada parada,sem aborrecimentos de entra-e -sai -e quero -minha- mala-já ...rsrs
E o pior sem duvida é no meio de um sacode-sacode daqueles ,os paxs com os "olhão" arregalado e vc ter que falar :ta tudo beeeem...mesmo com medo tb!!!
rsrsrss...
bjs!!

Cris Campos disse...

Como estou acostumada à mochilagem, cruzeiro pra mim é sinônimo de mordomia!
Torci o nariz quando a família inteira resolveu fazer um, mas depois que embarquei adorei! Faria de novo com toda certeza.
Ponto positivo acho que é a mordomia mesmo, não precisar se preocupar com nada, não tem stress. Negativo concordo com o Luciano, pouco tempo em cada porto, seria mais legal ter uns dias a mais pra explorar melhor as paradas.

Carmem Silvia disse...

O melhor é mesmo a mordomia, a tranquilidade, o clima de festa permanente e a comilança!
O pior é o assédio ao turista em cada parada do navio.
Ruim também são os showzinhos noturnos... mas deles você pode fugir.
E roubada são os passeios em terra que você adquire no navio.

Cristina (VnV) disse...

Mari,
já fiz 1 vez só os 2, então divido minha contribuição.
Nacional - ponto positivo - as opções dentro do navio a um preço que em terra vc não conseguiria. Ponto negativo - a comida igual (cruzeiro de 7 dias tem que ser muito criativo) e sem gosto (MSC)
Internacional - ponto positivo - transporte agradável onde o trem não é tão bom ou não chega. Ponto negativo - pouco tempo nas cidades.

Bá Conti - publicitariaeviajante.blogspot.com disse...

Ui, pra mim depende...
Eu adorei todos os três cruzeiros que eu fiz, mesmo com pouco tempo em cada escala - também concordo com o Luciano de que serve como teaser pros destinos e ajuda a decidir os melhores. Na minha opinião, são:

PONTOS POSITIVOS:
- Custo benefício: calcule quanto você gastaria por dia fazendo cinco refeições em um hotel cheio de detalhes como esse?
- Culinária dos restaurantes a la carte (tanto na Costa como na Iberocruzeiros, apresentação impecável e nenhum prato repetido - nem mesmo no transatlântico de 17 dias);
- Crew: nas boas armadoras, o pessoal também é diferencial - o fato de normalmente ser gente que gosta do que faz ajuda muito: garçons fofos que aprendem que bebida você prefere, camareiros atenciosos que, depois de pedir uma vez, te trazem gelo todos os dias ;)
- Mordomia: não ter que fazer/desfazer/carregar malas entre um destino e outro, pedir café da manhã no quarto, ter a cabine sempre bem arrumadinha duas vezes ao dia...
- Oferta de entretenimento: tanto faz se você quer ir no espetáculo no teatro, no show banquinho-e-violão, na música ao vivo no deck da piscina, na disco ou um pouquinho em cada um.
- Ter sempre companhia: seja nas atividades, nas refeições ou até mesmo no elevador: só não conhece gente quem não quer - e, nos roteiros longos, dá pra fazer amigos de infância.

PONTOS NEGATIVOS:
- Superlotação: a quantidade de gente nas filas, se um dia você deu bobeira e acabou indo parar no restaurante self-service;
- Farofa e furdunço nas piscinas: nos roteiros nacionais, parece que a maioria dos passageiros não enxerga outra opção que não estar o dia inteiro na piscina, comendo e bebendo sem ter a capacidade de levantar até uma lixeira pra evitar que o vento leve seus guardanapos e copos.
- Alguns espetáculos pra gringo: num roteiro nacional que eu fiz teve uma apresentação no deck da piscina que os bailarinos/as vestiam uma roupinha de onça pintada absolutamente deprimente.

No fim do ano vou pro quarto cruzeiro, agora experimentando a Royal Caribbean... depois conto como foi!

Carina disse...

Eu já fiz 3 cruzeiros: 2 no caribe e 1 pelos fiordes na Noruega com Dinamarca. E percebi que tudo varia da cia. Posso dar nome aos bois? Fiz um de 4 dias com a Carnival no Caribe- eles tem a ilha privada mais linda que já vi! Mas navio é fraco, comida mais ou menos, entretenimento pobre. Fiz um de 5 dias pela Royal Caribbean no Caribe. Perfeito! Navio ótimo, entretenimento de primeira, comida muito boa, ótimo astral à bordo.
E o último fiz mes passado de 8 dias pelos fiordes com a MSC, navio muito bom, rota muito boa, mas entretenimento fraco e comida de chorar. Café da manha, almoco e café da tarde eram a mesma coisa, todos os dias!! Sem contar que no jantar vc só tinha uma opcao, caso nao quisesse se arrumar pra ir jantar numa mesa com desconhecido e servido por garcons, vc só tinha opcao de ir em restaurantes pagos, e nos outro navios tinha opcoes de lanches, sushis, e etc.
Nos 3 cruzeiros, peguei os 3 tipos de quartos: interno, só escotilha e varanda. E claro que com varanda é imbatível, mas se tiver de decidir, sempre pegue um quarto o mais pra cima possível, mesmo que seja interno, porque aquela escotilha nao ajuda em nada e estar mais pra cima do navio é um conforto a mais. Até na hora do desembarque, já que tem preferencia as cabines mas acima.
Eu sempre tomo um remédio anti-enjoo nos primeiros 2 dias, pra prevenir, e até hoje nao sofri com o problema. Mas evito beber muito líquido, que li que predispoem o problema.
Quanto aos passeios pagos e oferecidos nos portos de parada, realmente sao mais caros quando comprados no navio, mas tem lugares onde vc nao tem opcao. Nos fiordes paramos em 2 lugares minúsculos que mal tinham 300 moradores, e caso nao tivessemos feitos os passeios do navio nao teríamos visto nada em terra, já que nao tinha outra empresa por ali oferecendo opcoes. No Caribe era bem mais fácil de encontrar.
Gorgetas: das 3 cias que usei, a Royal foi a que teve o melhor sistema, eles tb adicionam na sua conta, mas te mandam vouchers para vc entregar pro garcon, camareiro, etc, já as outras 2 debitavam da sua conta, mas nao prestavam conta disto. Gostei muito do método da Royal, neste caso.
o mais, já conversei com algumas pessoas que fizeram alguns cruzeiros e para todas elas a unanimidade é grande: Royal Caribbean é disparado a melhor. ;)
Boa sorte com tua pesquisa, Mari, espero ter ajudado e se eu lembrar de alguma coisa volto aqui, ou caso vc queira me perguntar algo, fique a vontade! ;)
Carina-Senzatia
@senzatia

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Luciano e meninas todas, muito obrigada desde já. Tô adorando as contribuições, viu? Quem lembrar de causos e historias interessantes que ouviram ou testemunharam nos navios tambem vale ;-)