9 de jun de 2010

Levando dinheiro em viagem: sobre o Visa Travel Money

Vira e mexe alguém me escreve, tuita ou posta na caixa de comentários dúvidas sobre como levar dinheiro em viagem para o exterior e quanto levar. A minha resposta é quase sempre a mesma: quanto levar é uma decisão MUITO individual/pessoal (afinal, cada um gasta de um jeito e cada um viaja com um orçamento muito particular, certo?), um cartão de crédito internacional é essencial e uma das melhores formas de fazê-lo, sobretudo para quem não tem isenção de tarifa para saques do exterior diretamente de sua conta bancária no Brasil, é apostar num Visa Travel Money - ou VTM, para os íntimos ;-)

Trocando em miúdos, o VTM (olha o anúncio deles no comecinho desse post) é um cartão pré-pago internacional, aceito, segundo a Visa, para compras em quase 30 milhões de estabelecimentos no mundo e para saque em moeda local em mais de 1 milhão de caixas automáticos planeta afora. Ao contrario dos traveller checks, você não precisa procurar lugares sem comissão pra trocar, nem faz volume na carteira/moneybelt já que é um simples cartão de plástico. Funciona assim: você compra um cartão e carrega, depositando em reais/cash, na quantidade de moeda estrangeira que vc quiser - 100 euros, 500 libras, 1000 dólares, 2500 euros... vc é quem decide (pode ser carregado em Dólar, Euro, Libra Esterlina ou Rand - esse último, ótima pedida pra quem vai pra Copa do Mundo na África do Sul!). E daí pode usá-lo para saques em caixas eletrônicos conveniados à rede Visa no mundo inteiro, sacando em moeda local, o que nos poupa das perdas de conversão de moeda pra moeda (cada saque tem um custo fixo de 2,50 euros). Também pode ser utilizado, sem cobrança de taxa nenhuma, para compras débito, como Visa Electron, em vários países (as compras e saques são realizados sempre na moeda do país de destino).

Mesmo para quem usa mais o cartão de crédito na hora das compras, é uma mão na roda como garantia de verba, ainda mais que o VTM não está sujeito à variação cambial e também oferece cartão adicional para usar imediatamente em caso de - toc, toc, toc - perda ou roubo (tem Central de Atendimento 24h em Português gratuita) . Pra mim, a maior vantagem do cartão é que ele pode ser recarregado de qualquer lugar, por qualquer pessoa e a qualquer hora. Ou seja: eu viajo levando meu VTM e, se eu calcular mal meus gastos e ele ficar zerado ou com pouco crédito, eu posso pedir para alguém da família ou dos amigos recarregar pra mim, do Brasil mesmo, e recebo os créditos onde eu estiver, na mesma hora.

E se sobrar dinheiro no cartão depois que voltar de viagem? A escolha é sua. Eu guardo, porque tem sempre uma viagem nova no horizonte :-D (o meu vai com restinho que sobrou da última viagem agora na viagem de julho). Mas, se vc preferir, pode solicitar devolução em reais ou ainda utilizar o cartão nos estabelecimentos afiliados a rede Visa Electron no Brasil mesmo (você pode saber mais sobre o VTM na página deles no Facebook também).

E boas viagens, sempre.

9 comentários:

Priscila (Inquietos) disse...

Oi, Mari! Eu uso o VTM desde 2005 e acho simplesmente ótimo e viajo somente com ele. Vale muito a pena, é fácil, prático, rápido.

Apenas duas observações:

1) No México eu perdi o cartão e eles não repuseram com a urgência que prometem. Passei trabalho por vários dias por causa disso.

2) Até onde sei, você só pode depositar uma moeda no cartão. Por causa disso eu tenho um VTM dólar e o maridão tem um VTM euro. Não sei se isso já mudou, pois como eu disse, já uso há muito tempo.

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Pri, thanks pelo seu relato! Eu nunca perdi o meu cartão, então não posso mesmo dar depoimento sobre esse lance da reposição. Tomara que depois tenha funcionado tudo certinho com o novo cartão de vcs... Sobre a moeda, é isso mesmo - o VTM está disponível nas quatro moedas citadas no post, mas cada cartão só pode ser carregado em uma ÚNICA moeda, embora possa ser sacado em qualquer moeda do mundo. ;-)

Vanessa Freire disse...

Legal Mari, estou colocando a Cidoca pra ler! hehehe

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Van, o que vai ter de Campos com VTM em julho na Europa esse ano não vai ser brincadeira... hehehehe

Jornalista pocket disse...

Oi, Mari...
Primeira vez que passo por aqui... adorei!
Só mais uma observação: me parece que o VTM tem um valor mínimo para carregar, não pode ser qq coisa, e o mínimo - se não estou enganada - é de 200 dólares e 200 euros, para seus respectivos cartões.
Abs

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Oi, Jornalista Pocket - welcome on board! :-) Mas a partir da segunda recarga, o valor minimo é de 75 euros ou dólares, ok?

Bá Conti - publicitariaeviajante.blogspot.com disse...

O ruim do VTM é que tem muito lugar que não aceita (ou no mínimo faz cara bem feia) pelo fato de não ter nome no cartão - o que também facilita pro ladrão no caso de furto, já que nas compras nunca pedem pin e sim assinatura. Visa devia estudar uma possibilidade de colocar nome no cartão, nem que fosse uma etiqueta com marquinha d'água...
Nada como a boa e velha dupla cartão de crédito internacional + cash - e uma boa dose de planejamento, pra não ter que ficar sacando por aí ;)

Daniela disse...

Oi,Mari! Eu trabalho em casa de câmbio.(Graco)
É a primeira vez que passo aqui, gostei muito dos seus comentários, mas queria só esclarecer algumas coisas:
1) O limite para carga ou recarga é de 100 USD ou EUR.
2) Tem um VTM para cada moeda.
3) Não existe tx para pagamento em débito.
4) A tx para saque depende do país, mas geralmente é de no máximo 3,00 USD.
Espero ter ajudado.

Beijos

Dani

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Oi, Dani. Obrigada pela sua colaboracao, mas acho que quase tudo que vc colocou ja estava mesmo no post, nao? E, de qualquer maneira, quando vc diz "limite" vc, na verdade, quer dizer MINIMO, certo?