16 de abr de 2011

Compras no exterior: você sempre pede o seu VAT/Tax Refund em suas viagens?

Eu não sou, salvo raras exceções, do tipo que se mata de fazer compras em viagem. Por isso mesmo, não sou uma grande expert em políticas de VAT/Tax Refund (a devolução em espécie ou crédito no cartão de crédito do percentual imposto pago nas mercadorias adquiridas que você pode solicitar em quase todos os países para os quais viaja) - vira e mexe tem leitor que me pergunta quanto tem que gastar no mínimo em tal país para ter direito (sim, você tem que ultrapassar um montante mínimo NUMA MESMA COMPRA para ter direito), e eu dificilmente sei. Mas, em quase todas as vezes em que gastei mais que o mínimo para solicitar - e isso inclui big compras de caixas de alfajores Havanna em Buenos Aires, #shameonme - , eu solicitei. Não era grande coisa, mas era uma graninha  que me alegrava quando vinha em crédito no cartão de crédito no mês seguinte :-))))
A Practical Traveler, do NYT, levantou uma questão interessantíssima na coluna dela dessa semana: vale mesmo a pena, em termos de tempo e transtornos, ir atrás o Tax Refund? Depois de ler tudo... eu confesso que não sei mais ao certo. Mas tendo muito a continuar achando interessante. Até porque nunca enfrentei grandes perrengues pra conseguir a restituição - bastava chegar mais cedo ao aeroporto, ficar um tempinho na fila e pronto. No big deal. E é dinheiro que volta pra nós, certo?
Então me fala: você acha válido? SEMPRE pede nas suas viagens? Tks a lot ;-)

6 comentários:

Perrenguete disse...

Olha, eu faço muitas compras. Receber o dinheiro na hora pode ser bastante complicado. Qdo se vai pra europa, tem que fazer no último país e, às vezes, isso siginifca dizer que vocês está apenas fazendo escala naquele país e o tempo é superapertado! Para receber dinheiro em euro, a fila não anda. Obviamente, é de propósito. SE quiser receber na moeda do seu país, a fila flui que é uma beleza, mas o câmbio é absurdo e se perde muito dinheiro! Abçs, Luciane.

Renata Luppi disse...

Pensei em fazer agora em Fevereiro quando voltei de Portugal, mas... ter que apresentar os produtos não dava !!!
A gente (que faz compras) se mata, arruma tudo, as garrafas bem arrumadas para não quebrarem.. para ter que mostrar tudo no aeroporto?!
Estava com todos os papéis e deixei pra lá, não estava querendo me estressar na hora da volta para casa !

Renata Luppi disse...

Pensei em fazer agora em Fevereiro quando voltei de Portugal, mas... ter que apresentar os produtos não dava !!!
A gente (que faz compras) se mata, arruma tudo, as garrafas bem arrumadas para não quebrarem.. para ter que mostrar tudo no aeroporto?!
Estava com todos os papéis e deixei pra lá, não estava querendo me estressar na hora da volta para casa !

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Renata lembrou de uma coisa importantíssima: em muitos locais, exige-se que você mostre todos os produtos antes de receber o carimbo.

E a Perrenguete lembrou de outro: com conexão, acaba nem dando tempo, pra quem sai da Europa.

Claudia Liechavicius disse...

O mais complicado é carregar os produtos comprados na bagagem de mão para mostrar antes de receber o valor do imposto. Muitas vezes precisamos despachar a mala e isso é feito antes do local onde se recebe o dinheiro.
Quando a galera não resolve que ver ver as compras dá tudo certo e é ótimo receber um dinheirinho de volta.
Claudia
www.viajarpelomundo.com

Amanda Payne disse...

Em algumas situações o TAX Refund vale a pena mesmo! Quando fui a Londres comprei um computador e a taxa que eu recebi de volta ajudou a melhorar um pouco o preço dele! ;)
Parabéns pelo Blog!
Amanda - Extern 360
http://extern360.blogspot.com/