17 de jun de 2011

O vulcão do Chile e nossas viagens II

Pois é. No dia 7 eu publiquei um post pedindo um pouquinho de calma e paciência pra todo mundo que me mandava emails e tuites perguntando se devia ou não cancelar a viagem de férias ou não em função da fumaça braba gerada pelas erupções do vulcão Puyehue, no Chile. Porque tomar decisões sérias desse tipo no calor do momento é mesmo muito complicado; e, se o negócio é a natureza em fúria, a gente tem mesmo que esperar um tempinho pra ver como o cenário geral se configura.
Do dia 7 pra cá, passados dez dias, vários deles com aeroportos fechados no cone sul, muita névoa e cancelamentos de voos, um monte de gente já postergou suas viagens (e alguns até amargaram horas de atraso entre a hora do voo e a hora da decolagem de fato). Agora que, ao que parece – toc, toc, toc – as coisas estão começando a se normalizar, com boa parte dos voos retomada, a gente pode pensar num cenário um pouquinho mais definido.
Cada um é cada um, eu sempre digo.  Mas eu, EU, nesse momento, manteria meus planos de viagem para o Chile, que foi o país menos afetado em termos de voos (é exatamente isso, aliás, que eu estou fazendo). Principalmente se o seu destino for Santiago ou estações de ski como Portillo, Valle Nevado, Farellones e até Chillán, que vão começar já-já a temporada de inverno de vento em popa (com baita infra-estrutura, diga-se de passagem). Eu também manteria os planos de férias para Montevidéu, Buenos Aires e Mendoza numa boa, que acredito que tudo vá se normalizar nos voos. Já as viagens para Bariloche e região... bem, essas eu tentaria substituir por outro destino ou, pelo menos, adiar. Afinal, mesmo o aeroporto reabrindo nesse final de semana conforme os planos, a cidade ainda tá sofrendo muito (e locais como Villa La Angostura, ainda mais, que ontem foi declarada em estado de calamidade pública). Montes de cinza cobrindo as ruas, carência de água e luz em alguns pontos, não tá legal. É bem possível que, passado o auê, as pessoas que mantenham seus planos originais e viajem a Bariloche nas férias de julho sejam recompensadas com a cidade recuperada e bem tranquila. Mas, se você faz questão de aproveitar as férias escolares para viajar com as crianças ou já pediu férias no trabalho e não pode voltar atrás, considerar um outro destino para esse inverno é interessante (trocar os voos para Santiago ou o trecho Buenos Aires-Bariloche por um Buenos Aires-Mendoza são opções ultra interessantes, eu acho, com neve – nas estações de ski e nos picos nevados - e bom entretenimento do mesmo jeito). Não custa pensar direitinho, né?
Que as férias sejam lindas e divertidas para todos, sejam quando e onde forem ;-)

Nenhum comentário: