25 de dez de 2012

Antártida: o que levar na mala dessa viagem

Turistas protegidinhos para poder interagir com o meio ambiente antártico numa boa ;)
Desde que contei aqui que estava embarcando para a Antártida, no comecinho desse mês, choveram emails, comments e tuítes me perguntando sobre como fazer a mala para lá, quanto frio esperar, o que comprar etc.

Confesso a vocês que não comprei nada especial para fazer a mala para essa viagem. Ou, bem, minto: comprei um par de bastões de caminhada na neve que nunca usei - nem sequer saíram da minha cabine do navio. Mas isso porque eu já viajei bastante para destinos frios, que adoro.
Ainda assim, a mala para uma viagem à Antártida é muito mais simples do que você poderia imaginar. Basta ter em mente que faz frio - como se você fosse esquiar, por exemplo, mas com a vantagem de não ter calefação exagerada em lugar nenhum. Então vou dividir as sugestões em duas partes:

1) Para circular no navio, que tem temperatura regulada sempre entre 21 e 25 graus (depende do navio), você precisa de conforto.

- no corpo, moleton, legging, calça de yoga, whatever - você vai usar roupas super casuais, esportivas, descomplicadas. As camisetas podem ser de manga curta ou comprida, mas leves - depende mesmo de quão friorento você é.

- nos pés, tênis, papetes, sapatilhas ou qualquer que seja o calçado que te dá conforto e segurança. Chinelos e rasteirinhas sem calcanhar eles implicam, sobretudo nos dias de Drake, por questões de segurança nas escadas e corredores).


2) Para os desembarques, que costumam ter temperatura entre 0 e 9 graus centígrados (mas a sensação térmica pode chegar a menos 15, menos 18), o segredo é vestir-se "em camadas".

- primeira camada: além da underwear (óbvia), uma camisete ou camiseta para ficar em contato com o corpo. É boa pra usar na volta ao navio e facinha de lavar e secar à bordo.

- segunda camada:  a camada térmica. Calça e camiseta de manga comprida térmicas, dessas que a gente compra nas lojas esportivas mesmo. Para mim, as peças mais importantes da mala. Acredite: são essas duas peças que vão manter você quentinho de verdade (nos dias quentes, quase todo mundo ficava só com a camiseta térmica na parte de cima nos desembarques).

- terceira camada: a camada protetora. Daí depende do quão friorento você é, mas essa é para os membros superiores: uma jaquetinha de fleece ou qualquer outro material quentinho cai muito bem. Quanto menos volume ela tiver, melhor.

- quarta camada: a camada impermeável. Essa camada é obrigatória em qualquer companhia de cruzeiros,para qualquer desembarque, tanto para membros superiores como para membros inferiores. Jaqueta impermeável e calça impermeável - também à venda em qualquer loja esportiva ou náutica. Algumas companhias de cruzeiro dão aos passageiros a jaqueta leve impermeável - eu usei uma minha velha de guerra, que ainda por cima é forrada e assim dispensa a terceira camada. Mas valem também os produtos water repealent e calças de ski.
As galochas emprestadas pelo navio são mão na roda
- acessórios: também depende do seu nível de frio, mas proteção para pescoço/rosto (os cuellos ou, para os mais friorentos, ivanhoés), orelhas (gorros ou faixas) e mãos (luvas) é necessário. Regra básica do frio, em qualquer circunstância ou destino, pípols: se as extremidades todas estão bem quentinhas, o corpo todo também está. No caso das luvas, a recomendação é usar dois pares: um de lã por dentro (de preferência sem dedos, pra dar mais sensibilidade para fotografar, por exemplo) e outro impermeável por cima.

- nos pés: duas camadas de meias são suficientes. Um par de meias normais e outro de meias térmicas, também à venda nas lojas esportivas - as 700 são infalíveis. Se comprar 200 ou 300, talvez seja melhor colocar um par de meias mais finas a mais. A recomendação de todo cruzeiro é vestir galochas nos desembarques, por ser o calçado mais impermeável e mais rápido para secar de todos - a maioria das companhias empresta as galochas, mas convém checar (pra quem não sabe, galochas são mesmo calçados excelentes para destinos com neve). Eu acabei usando na maioria das vezes minhas snow boots porque estou acostumada com elas, são forradas e mais quentinhas (e também porque eu queria justificar pra mim mesma ter ocupado quase metade da minha mala com elas o.O ). Mas as galochas emprestadas pelo Polar Pioneer deram super conta do recado também.

O que eu recomendo: levar também sacos impermeáveis náuticos, à venda nas lojas esportivas e também em muito supermercados (no Brasil, uns trinta reais o pacotinho com 3). Os sacos estilo ziploc, mas super reforçados e que fecham com velcro, são a garantia de câmeras e apetrechos sequinhos em todos os deslocamentos em zodiac.

Daí é só correr para o abraço antártico ;)

2 comentários:

Anônimo disse...

Mari, você poderia pôr links para a gente saber exatamente do que você está falando em cada um desses itens que devem constar da mala? Ajudaria muito. Inveja grande de sua viagem. Depois fale algo dos custos.

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Anônimo, os custos vc pode ver em todas as vezes que deixei link no nome do Polar Pioneer, desde o primeiro post sobre a viagem, tá? Mudam de uma saída para a outra. E no post "para quando você for" falo sobre isso também, dá uma olhada.
Quanto aos links, não quero por, pra não fazer meio "propaganda" dessa ou daquela loja. Quando eu tiver um tempinho, tento fotografar o que eu levei e postar aqui. De qq maneira, em qualquer loja de material esportivo que você mencionar as peças às quais me refiro eles saberão te indicar direitinho do que se trata, tá?