4 de jul de 2013

Voando com a Delta

Belas poltronas reclináveis na executiva da Delta
Já que no último post falei sobre novidade do mundinho da aviação, aproveito para mencionar aqui como foi voar com a Delta pela primeira vez nessa viagem ao Alasca em junho.
Comprei (através da minha agente de viagens, dessa vez) com a Delta porque eles tinham mesmo o melhor preço dentre as opções que apareceram na época (para quem não lembra, me decidi por essa viagem ao Alasca dez dias antes, uma correria, voos lotados etc) e porque, voando Delta, juntaria boas milhas no Flying Blue, que é meu programa de fidelidade aéreo predileto.
Poltronas individuais nas laterais da executiva: bem bolado
 O bilhete (em econômica) envolveu várias conexões diferentes (já que meu cruzeiro chegava e saía de pontos distintos, e sem voos diretos ao Brasil) mas tive também a sorte de conseguir um providencialíssimo upgrade para a classe executiva bem no primeiro voo, saindo do Brasil - o que me permitiu fazer uma avaliação mais completinha do serviço em geral para deixar aqui.
Necessaire Tumi...
... e jogo USB e tomada completinha: só na executiva
 O voo SP-Atlanta em classe executiva foi excelente: bastante espaço, poltronas individuais nas duas fileiras laterais (o que é ótimo para quem viaja sozinho, seja a trabalho ou lazer), assento com bastante reclinação (vira quase uma caminha), entretenimento individual bem completo, belo jogo de cobertor e travesseiro, serviço simpático, boa comida e bons vinhos. E ainda uma necessaire gracinha da Tumi para os passageiros.
Na executiva de ida, SP-Atlanta: jantar...
... e café da manhã
 Depois, fiz outros 3 trechos na América do Norte (dois deles longos e um bem curtinho) e a volta para o Brasil (desde NY) em econômica. Nos voos domésticos, houve serviço de bordo, com bebidas não alcoólicas e petisquinhos gratuitos (ao contrário do que acontece em muita companhia norte-americana), mas sem entretenimento individual.
No voo internacional, cerveja e vinho incluídos na classe econômica, boa comida, entretenimento individual bastante bom; só o café da manhã servido na chegada ao Brasil achei frugal demais. O espaço entre poltronas e a reclinação delas é sem novidades, o mesmo padrão da maioria das aeronaves que faz a rota Brasil-EUA. Mas gostei bastante do serviço de um modo geral, em todos os voos, cortês e eficiente (beeeem diferente da concorrência americana).
Na econômica da volta: jantar...
... e café da manhã
Só tive problemas com o atendimento em terra em Seattle, quando meu voo para Detroit (somente de lá eu seguiria para o Brasil) foi cancelado e a funcionária não conseguia encontrar uma solução alternativa (nem tinha muita vontade para tal). Mas o atendimento no call center (havia telefones para ligar gratuitamente para eles no saguão do aeroporto) foi eficiente e conseguiu me encaixar em outro voo, via NY, e fiz tudinho a tempo.

O bacana da confusão dos voos foi que, ao ser levada ao JFK para tomar meu voo de volta ao Brasil, acabei conhecendo de lambuja o novo Terminal 4, da própria Delta, inaugurado recentemente. Ficou lindão mesmo e bem organizado - só falta ali um free wifi ;)

Com a troca de voos, cheguei em Guarulhos sem minha mala; mas ela chegou inteirinha no final do dia seguinte, thanks God. Prontinha para voar de novo ;)

Nenhum comentário: