15 de mai de 2007

A cara de Paris

Há pouco, falamos aqui sobre experiências gastronômicas em viagens. Lembrei agora de uma que não posso deixar de registrar. Duas, na verdade, ambas na cidade Luz e no topo de todas as experiências gastronomicamente típicas que já tive em viagens. Paris tem duas grandes instituições, em se tratando de hotelaria atual: o Plaza Athenée e o Hôtel de Crillon. Tudo bem, tem o Ritz, que é patrimônio da cidade, mas o Athenée e o Crillon resumem bem o estilo parisiense de viver. E eis que pude provar um pouquinho da culinária de ambos em fevereiro passado.
O Plaza Athenée é o hotel de luxo que mais recebe brasileiros na capital francesa. Reúne classe e modernidade na medida certa e fica no endereço dos sonhos de qualquer consumista: com a torre Eiffel numa ponta e a Sacre-Coeur na outra, com Gucci, Louis Vuitton, Valentino, Chanel e outros ao lado. Seu café é charme absoluto e vale o preço só pela oportunidade de olhar as pessoas que passam por lá, de todos os tipos, idades, classes e nacionalidades. E então fui apresentada ao carro-chefe da casa: o religieuse, um docinho suave e esplendido, com o toque sutil de maracujá do chef Alain Ducasse. E o chá (que os franceses não adoçam jamais) vem em pratarias de derreter corações. Sim, é mais caro que a padaria na esquina do seu hotel; mas vale cada centavo que você desembolsa, pelo ambiente e pelo sabor.
Mas gastronomia mesmo é o que o brunch do Crillon, o mais famoso da cidade, oferece. No salão usado por Maria Antonieta para suas aulas de piano, os domingos começam com charme e sabor ao extremo. Do meio dia às quatro da tarde, ao preço de 66 euros por pessoa, o chef Jean-François Piège (estrelado pelo Michelin) faz invenções divinas na refeição que substitui café e almoço. Pratos quentes com trufas e lagostas, jamon serrano, queijos tenros, pãezinhos, geléias, bolos, crepes e um carrinho de sobremesas de causar até tristeza. Chás, sucos, vinhos, tudo à vontade e regado (literalmente) a champagne Tattinger, um dos mais tradicionais do mundo. Pode apostar: serão euros dos mais bem investidos na sua viagem, e com a cara mais tradicional de Paris. Impossível esquecer.

Translated by Google
A short time ago, we spoke here on gastronomics experiences in trips. I remembered now of that I cannot leave to register. Two, in the truth, both in the city Light and the top of all the gastronomicamente typical experiences that already I had in trips. Paris has two great institutions, in if treating to it would hotelaria current: plaza Athenée and the Hôtel de Crillon. All good, has the Ritz, that it is patrimony of the city, but the Athenée and the Crillon summarize the parisiense style of living well. E here it is that I could prove a bit of the culinária of both in last February. Plaza Athenée is the luxury hotel that more receives Brazilians in the French capital. It congregates classroom and modernity in the certain measure and is in the address of the dreams of any consumista: with the Eiffel tower in a tip and the Sacre-Coeur in the other, with Gucci, Louis Vuitton, Valentino, Chanel and others to the side. Its coffee is absolute charm and valley the price alone for the chance of looking at the people who pass for there, of all the types, ages, classrooms and nationalities. E then I was presented the car-head of the house: religieuse, one docinho soft and esplendido, with the subtle touch of maracujá of chef Alain Ducasse. E the tea (that the Frenchmen never do not sweeten) comes in pratarias to melt hearts. Yes, he is more expensive than the bakery in the esquina of its hotel; but valley each cent that you spend, for the environment and the flavor. But same gastronomia is what brunch of the Crillon, most famous of the city, offers. In the used hall for Maria Antonieta for its lessons of piano, the sundays start with charm and flavor to the extremity. Of the half day to the four of the afternoon, at the cost of 66 euros for person, chef Jean-François Piège (covered with star for the Michelin) makes divine inventions in the meal that substitutes coffee and lunch. Hot plates with trufas and lobsters, jamon Serrano, tenros, pãezinhos cheeses, a dessert jellies, cakes, crepes and stand to cause until sadness. Teas, juices, wines, everything to the will and watered (literally) champagne Tattinger, one of most traditional of the world. It can bet: euros of they will most be invested in its trip, and with the face most traditional of Paris. Impossible to forget.

9 comentários:

Bruna disse...

Eu quero esse bruuuuuuuuuuuuuuuunch!!!!

Erika disse...

Tudo bem, são 66 euros por pessoa, é uma garfada... Mas é um restaurante com estrelas no Michelin, então o papo é outro! E olha o esmero dos doces, pratas etc??? Loucura! Perfeito pra mulheres!!!!

Rodrigo disse...

Tudo bem, deve ser show de bola mesmo, mas acho que combina mais com mulherzinhas... rs. Encaro na boa um cachorro quente na rua e gasto essa grana numas compras!!!

Bruna disse...

Olha a inveja do cara!!! hahaha

Aline disse...

Plaza Athenée é aquele hotel incrível do final do Sex and the City, não é? Que sonho tomar esse chá lá!

Rodrigo disse...

Bem que eu falei que era mais coisa de mulherzinha... tudo bem, vai, os lugares são show de bola, tô com inveja. Mas sou pão-duro mesmo pra essas coisas.

Vera disse...

quero ir pra Paris agora!!! que tudo!!!

majo disse...

Mari,
Por toda a sua descrição estou morrendo de vontade de conhecer este ritual e comer essas djilicias, nhamn. A Gilda me disse que ela e o Nilo estiveram nesse brunch, aliás ela me disse que era chá e disse que era ma-ra-vi-lho-so !!

gilmara disse...

Eu fiquei bleu blanc rouge de inveja agora.....tô com vontade voltar a Paris só para comer no Athene........