17 de jun de 2007

Viajar com crianças - durante

Quando já estiver em viagem, evite exagerar no itinerário da viagem, transformando-a numa verdadeira maratona; as crianças não possuem o mesmo pique para passeio que os adultos. É preciso incluir no meio da programação atividades de lazer e descanso para a família inteira.

No avião:
- deixe à mão o seu kit básico, com fraldas, mamadeira ou joguinhos para os maiores
- leve alimentação própria para os bebês, como mamadeira de leite e suco e papinhas, que não costumam ser oferecidos pelas companhias aéreas. Mesmo quando são oferecidos, podem não ser da mesma marca e o bebê pode não se adaptar a elas.
- leve um brinquedinho predileto para entretê-la. O choro de um bebê durante o vôo irrita sobremaneira os outros passageiros, e todos têm direito a uma viagem tranqüila, não? As crianças não costumam ter sono tranqüilo nos vôos mais longos, necessitando entretenimento na maior parte do tempo. Esteja preparado.


No carro:
- criança vai sempre no banco de trás, indiscutivelmente. Crianças de até 4 anos devem ir no cadeirão, como prega a lei.
- faça paradas ao longo da viagem, aproveitando para dar água e levar as crianças ao banheiro em cada uma delas; trechos muito grandes irritam as crianças menores.
- peça ao pediatra que receite remédio contra enjôos para os pequenos e durante subidas e descidas de serra dê a mamadeira ou algo de comer para o bebê, evitando o desconforto da pressão nos ouvidos.

No restaurante:
- não fique em longas filas de espera por uma mesa; evite os horários de pico para não ter que ficar esperando ser atendido ou faça reservas antecipadamente
- alimente os bebês antes de sair para almoçar ou jantar, de modo que você possa fazer sua própria refeição de maneira mais tranqüila
- muitos locais oferecem menus específicos para crianças, que costumam vir acompanhados de elementos lúdicos (lápis e papel, por exemplo) para entrete-las enquanto a comida não vem e custam cerca de 50% do prato de um adulto.
- para os menorzinhos, leve sempre o carrinho ou cadeirinha portátil para acomodá-la, inclusive para um cochilo enquanto os pais fazem sua refeição

Um comentário:

Ministério da saúde disse...

Olá blogueiro,

Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente!

Quando uma mulher fica grávida, ela e todos que estão à sua volta devem se preparar pra oferecer o que há de melhor para o bebê: o leite materno.

O leite materno é o único alimento que o bebê precisa, até os seis meses. Só depois se deve começar a variar a alimentação.

A amamentação pode durar até os dois anos ou mais.



Caso se interesse na divulgação de materiais e informações sobre esse tema, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

Obrigado pela colaboração!

Ministério da Saúde