30 de nov de 2007

Luxo em pleno Amazonas - parte 4

Saindo de Santarém, a passagem pelo estreito de Breves gera expectativas mil tanto nos passageiros quanto nos tripulantes, que adoram a sensação de que o navio pareça estar “quase tocando a copa das árvores”.


E é sem dúvida o ponto mais alto de toda a passagem pelo Amazonas, já que a floresta fica de fato muito próxima do navio e com os providenciais binóculos encontrados em todas as cabines é possível ver com nitidez espécies da fauna e da flora da região. Sem contar que é ali o contato mais próximo do navio com os ribeirinhos, que saem correndo de suas casas às margens do Amazonas para acenar para os turistas debruçados sobre as varandas e mirantes do Silver Wind.







Vários deles, a maioria crianças, aproxima suas canoas do casco do navio cantando para depois travarem interessantes conversas com os passageiros, perguntando nomes, profissões, origens – devo confessar que alguns pareceram desapontados quando falei que era brasileira...


Mas, passado o trecho mais apertado do estreito de Breves, todos se lembram da infinidade de atrações oferecidas no navio e partem para aulas de danças, de idiomas e até de jogos (divertidíssimas, a bem da verdade). Todos os tripulantes chamam os quase 300 hóspedes pelo primeiro nome e se lembram do que você gosta de beber e comer o tempo todo, inacreditavelmente, e fazem questão de deixar todos extremamente à vontade, o tempo todo.

7 comentários:

FILIGRANA disse...

Marizinha, fotos fantásticas, cada uma mais bacana que a outra.
E que vida boa nesse navio hem !!! 1o estrelas ;)

Rodrigo Purisch disse...

Que contraste! O título diz tudo!

Deve ter sido uma experiência muito interessante. O navio devia causar uma enorme movimentação ao longo do rio.

Um passeio desse vai entrar para a listinha de desejos.

um abraço

Andrea Battoni disse...

Mari,que viagem exótica! Adorei a foto das canoas coloridas!!!
Tô precisando da sua ajuda: Vou fazer um bate-volta de Paris a Troyes em abril e gostaria de saber como foi sua experiência por lá. Me conta? Abraços.

Mari Campos disse...

Majô e Rodrigo, esta viagem foi mesmo inesquecível! Podem colocar na listinha de desejos, sim!!! ;)

Andrea, eu adorei o bate-e-volta para Troyes! A cidade é linda, toda medieval e aconchegante, e é muito fácil de andar, porque é pequena. Se vc ainda quiser fazer umas compras, a cidade concentra nos seus arredores outlets e lojas de fábrica de marcas como Levi's, Puma, Reebok, Nike e até grandes grifes, como Valentino e Chanel. Dá pra ir de carro ou, se vc for a Troyes de trem (como eu), dá pra chegar facinho nos outlets de ônibus de linha mesmo, sem baldeações.

Andrea Battoni disse...

Mari, muito obrigada pelas dicas de Troyes! Vou de trem mesmo, você acha que devo reservar um dia inteiro para o passeio?
Agradeço muito sua atenção!

Mari Campos disse...

Andrea, eu acho que um dia inteiro é melhor, sim! Você vai gastar uma hora pra ir e uma hora pra voltar. Numas cinco horas, dá pra conhecer bem a cidade; daí vc aproveita o resto do tempo nas comprinhas... rs

Anônimo disse...

Mari,
O viagem é maravilloso e as fotos ajudan a compreender o lugar.
Parabéns.
Um beijo.
Carmen