8 de jun de 2012

A navegação aos glaciares Balmaceda e Serrano

A lancha rápida toda bacanuda do hotel
 Um dos passeios mais legais oferecidos pelo The Singular é a lindíssima navegação que leva aos glaciares Balmaceda e Serrano, na província de Última Esperança. Esse passeio é super comum para quem visita Puerto Natales e a região de Torres del Paine e também para quem visita a patagônia norte, chamada de Patagônia Aysén.
Na viagem de ida, o guia vai mostrando no mapa tintim por tintim onde estão as atrações da região...
...e exatamente para onde estamos indo naquele pedaço geograficamente tão recortadinho do Chile
A grande diferença, no caso do passeio-convite do The Singular, é que como operam o passeio com suas lanchas rápidas (estilo flying cat gregas), a travessia é beeeem menos cansativa: enquanto os barcos comuns de excursão levam cerca de 3h em cada perna da viagem aquática, as lanchinhas levam menos de 1h30. Ou seja, em meio dia, dá tempo de ir e voltar para se dedicar também a outras atividades; ou, fazendo o passeio de dia inteiro, dá pra ficar muito mais tempo diante deles, se quiser.
No píer à entrada do parque, todo mundo desembarca se vestindo - que fazia um friozaço
 O passeio de barco em si já é legal, porque a gente entra numa zona de fiordes, que muita gente acaba vendo ali pela primeira vez. Os picos "saídos" da água, os cumes nevados. E olha que o dia estava feio pra dedéu, completamente cinza e enfumaçado.
 O barquinho aporta no píer de entrada do parque nacional Bernardo O´Higgins (entrada a +- US$6 por pessoa) e a gente faz uma trilha bem fácil (com subidas e descidas, mas bem tranquila mesmo - e olha só quem está falando isso :-D) observando as espécies autóctonas e endêmicas da região, dos fungos malignos ao saboroso calafate.
 A trilha dura uns vinte minutinhos, até que...
O primeiro flagra do Balmaceda deixa todo mundo petrificado (inclusive de frio :-D)
 ....oh! uh! ah! uau! é tudo o que se ouve por lá.
 A visão do Balmaceda é tão impactante que todo mundo acaba ficando muito tempo por lá, entre uma foto e outra, embasbacado. E quando se rompe um mísero pedacinho do glaciar, o barulho é como o de um avião passando bem pertinho, lindo.
Como se fosse chantilly <3 <3 <3 
A alegria da turista argentina brincando com um "pedaço" do glaciar
Glaciar, reflexo na água, brumas, nuvens baixinhas... cartão postal prontinho
 Quando já estávamos todos há uns 15 minutos embasbacados, o guia avisa que no final da trilha tem um mirante muito mais próximo. Opa, s´mbora então!
A gente vira um pedacinho de nada diante dele (santas cores fluorescentes para mostrarem!)
 A última descida é a mais chatinha para os sedentários (leia-se eu), mas a visão dali é...
 ... uau. Muito uau.

Na volta, todo mundo falando desembestado, encantado com o que tinha acabado de ver, os hóspedes ainda recebem uísque ou pisco sour e comidinhas mil para afastar a friaca.
 E o barco ainda dá uma passadinha bem pertinho do Serrano (cujo acesso a pé é bem mais complicado e o tamanho, menor) só pra gente poder dar aquela última olhadinha, todo mundo espremido na portinha do barco.
 Que frio que nada. Tinha sido uma manhã simplesmente inesquecível. Para mim, que nunca tinha chegado tão perto do Balmaceda em outras viagens devido a intempéries climáticas, foi o melhor passeio de toda a viagem.
 (O passeio é aberto também para não hóspedes do hotel mediante reserva prévia e disponibilidade)

Nenhum comentário: