2 de jul de 2012

Nice: do MAMAC à Villa Arson

Uma das laterais do bacanudo prédio do MAMAC
 Quando eu pensava em Nice, pensava mais nas praias, na Promenade, no Negresco e na Place Masséna que em qualquer outra coisa. Muito mais. Mas ali, do ótimo MAMAC (Museu de Arte Moderna e Arte Contemporânea) ao também incontornável Museu Chagall, descobri uma cidade de veia muito mais artística do que imaginava. 
Arte bem contemporânea em vários cantos do MAMAC
 São vários os museus na cidade, do Belas Artes ao de História Natural (que é o queridinho das crianças, por exemplo). O Museu Matisse e de Arqueologia também são campeões de visita, embora fiquem bem mais afastados da zona hoteleira - mas ficam rodeados por jardins imensos e lindos e valem muito o desvio, principalmente para conhecer (e entender) melhor a fase de "colagens" do Matisse (e as ruínas romanas ali também são incríveis) - e ambos têm entrada franca. 

 Sou fã de Chagall e não poderia nunca achar menos que bom um museu dedicado a ele - e é muito bom mesmo. Se puder, entre numa das visitas guiadas oferecidas - no fundo, arte moderna e contemporânea com mediação é sempre muito mais interessante para quem curte arte ou quer aprender mais sobre isso. A nossa visita foi excelente, com um guia do museu ultra didático, que soube responder das perguntas mais básicas aos questionamentos dos mais entendidos em história da arte.
O guia do Musée Chagall media a visita para o nosso grupo, destacando as obras mais importantes expostas ali
Sabia que o peixe nas obras do Chagall mais que uma referência religiosa é uma homenagem ao seu próprio pai?
 A grande surpresa em Nice foi a qualidade do MAMAC - não bastasse a big infra, com montes de funcionários espalhados pelos andares e salas do edifício, o acervo é mesmo impressionante e o itinerário é muito bem bolado. Sem contar que no último andar rolam uns jardins suspensos no melhor estilo babilônico, com vista para toda a cidade antiga. 
A fachada lindona do Museu Matisse...
... e um detalhezinho do interior 
Um tequinho do Museu de Arqueologia
 Mas não houve visita mais marcante para o nosso grupo que o tour pela Villa Arson. A Villa, que é uma das principais escolas de arte de toda a França, não aceita visitas regularmente; mas abriu uma exceção justamente pelo tema da viagem do nosso grupo da Biarritz ser exatamente seu foco: "arte moderna e contemporânea". Assim, nos guiaram e nos permitiram ver de pertinho não só os alunos em plena execução de seus trabalhos de final de semestre (para entrar ali, a concorrência é de mais ou menos 60 candidatos por vaga e 20% delas são destinadas a alunos extrangeiros que vivem também ali) como também ver a montagem da exposição de verão que seria inaugurada no dia 30 de junho e conhecer a genial arquitetura do lugar, totalmente pensada e planejada com foco na sustentabilidade.  
O clima universitário cool da entrada da Villa Arson...
... o genial "boxe de palavras" da nova exposição de verão...
... paredes cobertas de arte...
... arquitetura sustentável...
... e alunos-artistas em plena execução de suas obras.
Arte pura. 

Nenhum comentário: