10 de jul de 2012

Novo Pompidou em Metz: escapada mais que perfeita de Paris

O novo Pompidou, bem do ladinho da estação
 Depois dos dias no sul da França (lindos, lindos, lindos), nosso grupo rumou para Paris. E um dos programas mais legais que fizemos ali... não foi em Paris! Fizemos um bate-e-volta genial a Metz, na Lorena, para conferir o novo Pompidou.
No TGV, a caminho de Metz
A viagem, via TGV, é rapidinha, dura menos de 1h30. A estação de trem de Metz fica literalmente do lado do museu -basta atravessar uma passarela e já estamos na praça do Pompidou. A arquitetura do museu (totalmente sustentável) é simplesmente genial, com o teto feito todo em encaixes impressionantes, inspirado mesmo nas construções japonesas. E dentro... uau.
O genial chão de caquinhos da praça em frente

Protótipo dos primeiros tanques de guerra, exposto no hall

Não são geniais os encaixes da cobertura?
A boa mostra de Bouroullec
 Não só nos EMBASBACAMOS com a incomporável mostra de Sol LeWitt (inesquecível, sério mesmo) como nos emocionamos com a linda mostra 1917 que, dentre tantas obras retratando esse ano tão polêmico na história mundial, contém também "o maior Picasso do mundo" (como dizia a própria publicidade do museu estampada em toda parte em Paris). E ainda curtimos por tabela a mostra de Ronan & Erwan Bouroullec, boa para fãs do design. 
A catedral de Metz, lindona, se destacando na paisagem
Um teco da sen-sa-ci-o-nal mostra de LeWitt
Metz vista do museu
Mais LeWitt aqui...
...aqui...
...e aqui, fenomenal!
Close nas linhas malucamente perfeitas, sempre feitas à mão, do gênio!
A célebre intervenção de Duchamp, na mostra 1917
Mais 1917
E o "maior Picasso do mundo"...
... bota grande nisso
 Da cidade, infelizmente vi muito pouco, ou quase nada - como os horários do TGV já estavam definidos e comprados pela própria organização da excursão, acabamos tendo muito menos tempo em Metz do que eu gostaria. Mas ainda assim deu pra curtir e para, claro, comer, enfim, uma quiche Lorraine em plena Lorena :-))))
E deixou gostinho de quero mais pra voltar a Metz com calma para ver bem a cidade. E, provavelmente, visitar novamente o museu. Sério. 

2 comentários:

Francy e Carlos Guttierrez disse...

Fazem 20 anos que estivemos em Metz e gostamos muito da cidade. Nem existia sombra de um novo Pompidou. Lembro-me que ficamos umas 4 noites e visitamos vários lugares. A Catedral foi o que mais gostei...
Nessa viagem nos hospedamos em vários Campanille e eram ótimos. Creio que ainda o são.

Anônimo disse...

Gostoria conhecer esse novo Pompidou. Vou anotar....
Bjs
Carmen L.