20 de jun de 2007

Viajar sozinho custa caro


Viajar sozinho é uma experiência totalmente diferente de viajar acompanhado, em todos os sentidos. Por um lado, é possível mergulhar muito mais nos lugares ao sair pelo mundo desacompanhado, impulsionado até mesmo pelo simples desconforto da solidão, sem horários, sem pretextos; por outro, não há com quem dividir os melhores e piores momentos da empreitada e não é todo mundo que consegue dar risada sozinho, além de haver sempre a desagradável tarefa de fazer suas refeições sem ninguém. É certo que viajar sozinho tem muitas vantagens, já que é cada vez mais difícil encontrar alguém que goste de viajar do mesmo jeito que nós, no mesmo ritmo, com as mesmas prioridades. Um gosta de compras, o outro prefere museus; um gosta de caminhar, o outro prefere pegar um metrô ou táxi sempre que possível; um quer hotéis de design, o outro quer o mais barato; um quer refeição e o outro fast food... Tanto que há cada vez mais gente viajando sozinha no mundo. Mas há um fator inquestionável: viajar sozinho sai caro. Num albergue, se você topar um quarto coletivo, no problem. Mas num hotel, dificilmente há diferença significativa de preço para quarto single e double. Há hotéis que simplesmente não fazem distinção nenhuma: fundamento justificado pela ocupação física do quarto, independente do número de hóspedes. Na hora das refeições, mesma coisa: o custo da refeição é todinho seu, independentemente do quanto sobrou no prato. No táxi, arcar com a corrida todinha. Nas atrações e passeios, o desconto geralmente é para duas ou mais pessoas entrando juntas. Nos trens também. Na ponta do lápis, nada como encontrar seu parceiro de desbravamento dos horizontes para tornar as viagens sempre possíveis e freqüentes.

Travel alone is expensive

Travelling alone is a pretty different experience than travelling with someone. On the other hand, it is possible to dive even more in the places when you take a trip on your own, stimulated even though for the loneliness, without schedules, excuses; but alone you do not have someone to share the best ones and the worst moments not to mentioned the unpleasant task of take your meals without anyone. It is certain that to travel alone has many advantages, since it is very difficult to find somebody that likes the same things than you, the same rhythm, the same priorities. One likes purchases, the other prefers museums; one likes to walk, the other prefers to catch a subway or taxi; one wants design hotels, the other wants the cheapest one; one wants good meals and the other fast food… That is probably why there are even more people travelling alone in the world. But there is one unquestioned factor: travelling alone is expensive. If you take a collective room, no problem. But in a hotel, there is hardly a significant difference of price for a single or double room. There are hotels that simply do not make any distinction: justified by the physical occupation of the room, independent of the number of guests. Taking meals, same thing: the cost of the meal is all yours, independently of how much you ate. In the taxi cab, you pay the ride alone. In the attractions, the discounting generally is for two or more people entering together. Same thing in trains. Economically speaking, there is no better way to travel than find a trip partner for travelling all the time.

17 comentários:

Patsy disse...

Oi Mari, Gostei muito do seu post, eu particularmente já fiz ótimas viagens sozinha, é ótimo para fazer amizades em Albergues, e também ficar mais live para viver a cultura do país, interagir com mais com as pessoas, até porque você fica mais "dependente", eu acho uma experiencia ótima. A primeira vez sempre é ruim, você fica comparando, mas depois acostuma. E ultimamente não encontro mais ninguém legal e que goste das mesmas coisas que eu, ou pelo menos de uma parte. Deixo beijos. Pat

Ju disse...

Concordo com a Patsy: a primeira viagem sozinha é trash, mas depois vc acha o máximo. Já viajei muito sozinha e adorei; hj viajo com meu namorado, mas as vezes sinto falta dos passeios independentes e descompromissados, tanto que as vezes a gente até passa um dia ou um período do dia separados, pra cada um fazer só o que quer. Difícil encontrar alguem que goste do que a gente gosta.

Ricardo disse...

Eu pessoalmente nao achei nada ruim minha primeira viagem sozinho. Até hoje eu adoro - se viajo sozinho, fico em albergue, pra já enturmar de cara. Passear sozinho de dia é maravilhoso, mas sair sozinho à noite é muito chato. Então saio com o povo que conheço no albergue e sempre dá certo. Se não gostar, é só sair com outras pessoas no dia seguinte. Viajar com namorada é bem mais complicado: elas sempre querem mais conforto, restaurantes com frufrus e muito mais compras que gostaríamos, sem contar as intermináveis horas pra se arrumar.

Carla disse...

é como vc disse, Mari. Cada uma tem seu lado bom e seu lado ruim. Viajar acompanhado é uma delícia, partilhando sensações e experiências, tudo de bom e todos os imprevistos também. Mas viajar sozinho é liberdade, inclusive para não dar importância aos imprevistos, ou pirar de vez em quando também...rs...Mas o pior mesmo é o preço: vc tem razao, viajar sozinho é muito caro, principalmente para mulheres - que, como disse o Ricardo, somos mais "frescas"...

Carla disse...

esqueci de dizer: esta foto está incrível!

Ro disse...

Também adorei essa foto! E confesso que já viajei algumas vezes sozinha, mas desisti: tanto pelo preço (arcar com tudo é mesmo complicado) como também pela solidão. Em poucos dias, tudo bem, principalmente em lugares que já conhecemos. Mas para viagens longas em lugares novos, é muito melhor ter com quem dividir os dias.

Pati disse...

Viajar sozinha é uma delícia, mas viajar acompanhada é melhor - desde, é claro, que a companhia combine com vc, óbvio. Concordo que é difícil achar nosso par viajante, mas entre uma e outra concessão, não é nada impossível. E bem mais barato...

Erika disse...

ok, viajar sozinho é caro, mas digamos que é o "preço da liberdade": nada como poder andar sem rumo, sem horários, sem preocupações e sem concessões num destino bacana. É uma delícia viajar acompanhado, mas acho fundamental ter as duas experiências intercaladas.

Alessandra disse...

Viajar sozinho, só muito de vez em quando, e por muito pouco tempo. Nada como uma boa companhia para compartilhas as horas - e os custos.

Carol disse...

Já viajei com irmã, com prima, amigos e com namorado, e sempre há momentos de entrave, apesar de toda a diversão. Companhia perfeita para viajar acho que só você com você mesmo! Gostei muito de minhas viagens solo, mas também tenho momentos memoráveis a dois e em turma. De tudo um pouco seria a medida ideal para a vida de um viajante.

May disse...

It´s very nice travelling alone. I usually travel alone. You just have to find cheap destinations, like Asia or south america, so it´s not expensive.

Jocieli disse...

Parece mentira, mas nunca viajei sozinha em toda minha vida. Sempre fui acompanhada da família, de amigos ou namorado. Não pelas contas - porque nunca tinha pensado nisso, mas porque prezo o prazer de dividir as sensações com alguém querido. Mas lendo esses depoimentos de tanta gente que curte viajar só, até que me deu vontade de experimentar.

Anônimo disse...

Viajar sozinho é ótimo. Mas, a noite é muito chato ter q jantar sozinho. Eu particularmente não sou fã de albergue. Embora eu ache a melhor forma de conhecer pessoas. Por outro lado viajar com muita gente é complicado. Conseguir agradar a gregos e troianos é difícil. O bom é fazer ás vezes viajar sozinho e outras vezes com um amigo(a).

susana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Ola Sra. Mari campos:

Se por acaso leres esta mensagem: É UMA HONRA E TANTO PARA MIM!
Antes de mais nada, gostaria de mencionar que comprei seu livro que foi lançado ano passado, o "Pequeno Guia de Viagem...". Ótimo! Dicas sensacionais, mara!
Até o emprestei para a minha mãe, e ela gostou tb! Em relação ao título 'Viajar Sozinho', muito bom. Atualmente, sempre viajo sozinho; faço meus roteiros de viagens, pesquiso preços (meios de hospedagens, lugares para comer, compras...), e é uma aventura e tanto! Além de ser atos de responsabilidade, pois, como a senhora mencionou no livro, 'deve-se colher com amigos, pessoas, informações de lugares que já foram', mas quando é CONOSCO, aí é diferente...Eu poderia escrever mais coisas aqui, mas vou parar; mais uma vez, parabéns pelo livro (e, se possível, lance outro com relatos/experiências suas - bom, aí teria que haver 'coleções' - risos!).

Saudações,
Rodrigo Rosa.

Anônimo disse...

Puxa, adorei a matéria, estou pensando em viajar sozinha, minha única dúvida é: como tirar fotografias em que eu apareça?? rsrsrsrs....só faltou comentar sobre isso!

Mari Campos disse...

Anonimo, quem viaja sozinho fica craque em tirar auto-retratos! hehehe