31 de jul de 2011

Sala vip nos aeroportos: você usa?

"A partir do momento q vc começa a achar que é VIP, vc não é mais", já dizia la reina Carolina Herrera. Mas mimo é bom e a gente gosta, claro. Faz uns dez anos que mantenho meu cartão que começa com D (pra não fazer propaganda, vá :-P) por um simples motivo: porque ele me dá salas vip em N aeroportos no mundo. Ele nem é tão aceito assim mundo afora, junta só um ponto ou milha por dólar gasto, mas me proporciona momentos relax com conforto, comidinhas, bebidinhas e internet disponível enquanto espero meu voo aqui e ali.
Eu acabo comprando minhas passagens aéreas ou em função da “escala” que eu quero aproveitar ou em função do preço e não tenho status Gold nos meus programas de fidelidade para usar as salas vip das companhias aéreas. E, a bem da verdade, viajo mesmo em business quando emito passagens-prêmio com pontos. Então é esse meu querido cartãozinho que me leva para o mundo das chamadas salas vip.
Claro que hoje, que voo trocentas vezes por ano, atribuo ainda mais valor a esse benefício que ele me dá. Mas desde a época em que viajava apenas em férias, três ou quatro vezes ao ano, já utilizava bem o dito cujo; e tenho vários amigos que também mantém esse cartão por essa mesma razão. E estamos mais contentes ainda com a parceria recentemente firmada entre ele e as salas vip do Smiles, o que representou um upgrade bem razoável para as salas brasileiras, consideradas dentre as mais “fraquinhas” do mundo.
Vale ressaltar que, além desse cartão específico, vários bancos lançaram nos últimos anos também seus cartões de outras bandeiras com Priority Pass, que também dá acesso gratuito a cada vez mais salas vip no mundo inteiro, e é uma mão na roda pra muita gente. O Mastercard Black também abriu uma sala ótima, exclusivamente no Brasil, no aeroporto de Guarulhos, pra seus clientes. E o próprio Itaú também começa a lançar salas – domésticas apenas, por enquanto – em alguns aeroportos nacionais para seus clientes platinum.
No fundo, seja qual for a sala, acho uma mão na roda pra suportar numa boa as longas horas que passamos nos aeroportos hoje em dia, com toda essa antecedência que nos é exigida para chegar. E acho que os cartões de crédito com esse diferencial são a maneira mais simples de desfrutar desse beneficio, não importa a frequência com que você voe.
E você? Também tá adepto dessa história das salas vip? Como usa?

6 comentários:

Vivian disse...

Nós sempre usamos quando está disponivel. Mas me diz uma coisa, como faço para descobrir as salas vips dos aeroportos? tem algum site que me diz se determinado cartão tem sala vip lá?
bj

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

Claro, no site do seu próprio cartão de crédito há essa informação.

Janaina disse...

Cartão de crédito junto milhas e alguns, como o Diners, ainda dão direito a salas VIP. Aliás, com esta superlotação dos aeroportos, a sala VIP é um oasis. Sempre uso e, as vezes, fico até indo entre uma e outrapara ver qual está mais legal, qual tem o melhor vinho ou qual está menos cheia ! Sala VIP é tudo de bom.

Renata Luppi disse...

Sonho com o dia que terei tempo para fazer um comparativo em as salas VIPS de cada cartãoi para ver qual tem mais opções mundo afora ! rs

Carmem Silvia disse...

Eu tenho o mesmo D. E o mantenho pelo mesmo motivo que você expôs. Uso as salas desde sempre. E recentemente experimentei a van entre Hotel Maksoud e GRU e vice-versa. Aprovei.
Sabe que já pensei em aproveitar a sala de Congonhas (agora fechada p/ reforma) para passar uma tarde quente de verão com ar condicionado, cafezinho e poltrona relaxante? Mas cadê tempo...

Mari Campos - Pelo Mundo disse...

hahaha curti a ideia, nunca tinha pensado nisso: usar a sala como um escritório flutuante, tipo uma Starbucks for free ;-)